Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

""

Ferramentas Pessoais

This is SunRain Plone Theme

Navigation

Você está aqui: Entrada / Notícias / 2016 / Índice de Preço no Consumidor (IPC) Fevereiro: Nota de Imprensa

Índice de Preço no Consumidor (IPC) Fevereiro: Nota de Imprensa

Inflação mensal: 1,56%: Os dados recolhidos nas Cidades de Maputo, Beira e Nampula indicam que o País registou em Fevereiro de 2015, um agravamento do nível geral de preços face ao mês de Janeiro, na ordem de 1,56%, representando uma desaceleração de 0,26 pontos percentuais (pp) face ao nível registado no mês anterior.

A divisão de Alimentação e bebidas não alcoólicas foi a que ditou o comportamento do nível geral de preços ao contribuir com cerca de 1,37pp positivos.
Em termos de produtos, contribuíram significativamente para esta tendência, o agravamento de preços do Tomate (20,2%), da Farinha de milho (11,1%), das Viaturas em segunda mão (6,2%), do Peixe seco (4,3%), do Peixe fresco, refrigerado ou congelado (2,0%), da Couve (11,0%), e do Material escolar diverso (9,9%). Estes, contribuíram no total da inflação mensal com aproximadamente 1,37pp positivos.

Inflação Acumulada: 3,42%

Nos primeiros dois meses do ano, o País registou um agravamento de preços na ordem de 3,42%. A divisão de Alimentação e bebidas não alcoólicas é a que mais influenciou, ao contribuir no total da inflação acumulada com 3,07pp positivos.
A nível de produto, nota-se que o Tomate, o Coco, a Farinha de milho, a Couve, o Alface, o Peixe fresco, refrigerado ou congelado, e o Peixe seco, foram os que mais influenciaram na inflação acumulada, ao contribuir com 2,68pp positivos.

Inflação homóloga: 3,99%

Relativamente a igual período de 2014, o País registou um aumento do nível geral de preços na ordem de 3,99%. As divisões de Alimentação e bebidas não alcoólicas e de Vestuário e calçado destacaram-se ao contribuir no total da inflação homóloga com aproximadamente 0,99pp e 0,31pp positivos, respectivamente.


Inflação por Cidade

Desagregando os dados por cidade, verifica-se que as três cidades tiveram uma tendência de subida de preços, sendo que a Cidade de Nampula registou o mais alto nível de agravamento com cerca de 2,61%. As cidades de Maputo e Beira registaram agravamentos de 1,23% e 0,45%, respectivamente.
Em termos de comparticipação na inflação mensal registada para o País (1,56%), a Cidade de Nampula foi a que mais influenciou esta tendência, tendo contribuído com cerca de 0,87pp positivos, seguida das Cidades de Maputo e da Beira com 0,62pp e 0,07pp positivos, respectivamente.
Nos dois primeiros meses do ano, a Cidade de Nampula afigura-se como a de maior agravamento de preços com 4,39%, seguida das cidades da Beira e Maputo com 3,34% e 2,81%, respectivamente.
Relativamente a igual período de 2014, as Cidades de Nampula, Beira e Maputo registaram aumentos de preços na ordem de 6,68%, 4,22 e 2,09%, respectivamente.