Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

""

Ferramentas Pessoais

This is SunRain Plone Theme

Navigation

Você está aqui: Entrada / Notícias / 2016 / INDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR (IPC) - Nota de Imprensa

INDICE DE PREÇOS NO CONSUMIDOR (IPC) - Nota de Imprensa

Os dados recolhidos nas Cidades de Maputo, Beira e Nampula indicam que o País registou no mês de Dezembro de 2014 um agravamento do nível geral de preços na ordem de 0,71%, o que representa uma aceleração face a Novembro de cerca de 0,35 pontos percentuais (pp). O aumento dos preços da divisão de Alimentação e bebidas não alcoólicas foi o principal responsável pelo agravamento geral de preços ao contribuir com aproximadamente 0,54 pp positivos. De referir que o aumento dos preços do Coco (19,5%), de Calças para homens (9,9%), da Cebola (4,4%), do Tomate (2,5%) e do Camarão seco (15,4%), foi responsável por 0,47pp positivos do total da inflação mensal registada.

Inflação mensal: 0,71%

Os dados recolhidos nas Cidades de Maputo, Beira e Nampula indicam que o País registou no mês de Dezembro de 2014 um agravamento do nível geral de preços na ordem de 0,71%, o que representa uma aceleração face a Novembro de cerca de 0,35 pontos percentuais (pp). O aumento dos preços da divisão de Alimentação e bebidas não alcoólicas foi o principal responsável pelo agravamento geral de preços ao contribuir com aproximadamente 0,54 pp positivos. De referir que o aumento dos preços do Coco (19,5%), de Calças para homens (9,9%), da Cebola (4,4%), do Tomate (2,5%) e do Camarão seco (15,4%), foi responsável por 0,47pp positivos do total da inflação mensal registada.

Inflação acumulada: 1,93%

 

Relativamente ao comportamento dos preços ao longo de 2014, os dados indicam que o País registou um aumento de preços na ordem de 1,93%. Este nível é inferior ao atingido em 2013 em aproximadamente 1,61pp. A divisão de Alimentação e bebidas não alcoólicas, teve uma contribuição no total da inflação acumulada de cerca de 1,71pp positivos.

 

Desagregando os dados por produto, há a assinalar que o aumento dos preços do Coco, do Peixe fresco refrigerado ou congelado, do Carvão, do Açúcar amarelo e do Peixe seco foi o que influenciou significativamente a tendência geral de preços. A contribuição destes na inflação anual foi de aproximadamente 1,06pp positivos. O ano de 2014 caracterizou-se por uma tendência de aumento de preços de Janeiro a Abril. De Maio a Setembro verificou-se uma tendência de queda e nos últimos três meses voltou a registar um comportamento idêntico ao dos primeiros 4 meses do ano. Os meses de Janeiro, Março e Dezembro foram os que registaram maiores níveis de agravamento de preços com variações mensais na ordem de 0,98%, 0,91% e 0,71%, respectivamente, motivados essencialmente pela subida de preços do Coco, do Tomate, da Cebola, do Feijão manteiga e da Couve.
Em Junho e Agosto registaram-se as quedas mais elevadas de preços que se situaram em 0,52% e 0, 55%, respectivamente. O Tomate, o Coco, a Cebola, a Couve, o Alface e o Peixe seco foram os principais contribuintes da tendência de queda de preços nesses dois meses.

 

Variação Média de 12 meses: 2,56%

Tomando como referência a inflação média 12 meses, o País registou um aumento de preços na ordem de 2,56%, situando-se assim 1,70pp abaixo do nível de 2013. A divisão de Educação foi a que em termos médios teve maior variação anual de preços com 5,83%.

 

Inflação por Cidade

dos três principais centros urbanos do País, a Cidade da Beira teve em Dezembro a inflação mensal mais alta (1,43%), seguida de Maputo (0,64%). A Cidade de Nampula teve a inflação mais baixa (0,52%). Da inflação mensal registada para o País (0,71%), a Cidade de Maputo comparticipou com cerca de 0,31pp positivos, seguida da Cidade da Beira com 0,22pp e da Cidade de Nampula com 0,18pp.

De Janeiro a Dezembro, as Cidades de Maputo Beira e Nampula registaram aumentos de preços na ordem de 1,10%, 2,68% e 2,78%, respectivamente. Da inflação média 12 meses registada para o País as Cidades de Maputo e Beira situaram-se abaixo da média com 2,29% e 1,75%, respectivamente e a Cidade de Nampula acima da média com 3,35%.