Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

""

Ferramentas Pessoais

This is SunRain Plone Theme

Navigation

Você está aqui: Entrada / Notícias / INE Relança Produção de Estatísticas Locais

INE Relança Produção de Estatísticas Locais

O Instituto Nacional de Estatística (INE), está a preparar-se para o relançamento do processo de produção de estatísticas locais com o objectivo é assegurar a disponibilidade de informação desagregada, necessária e indispensável para a implementação de programas de governação e desenvolvimento social e económica local.

Com efeito, decorre desde ontem em Maputo, um encontro que reúne responsáveis e técnicos dos Serviços Centrais e Delegados Provinciais da instituição, evento que foi definido como se destinado a desenhar a estrutura dos indicadores a serem produzidos no quadro do projecto.

Na abertura do encontro, que terá a duração de dois dias, o presidente do INE, Dr. Rosário Fernandes, enquadrou o evento no anterior Plano Estratégico do Sistema Estatístico Nacional para o período 2008-201, que definiu as Estatísticas Territoriais como ferramenta indispensável para a planificação do desenvolvimento sócio-económico ao nível da base. Recomendou, nesta perspectiva, o empenho de todas unidades administrativas da instituição, no sentido de trabalharem com afinco na reoganização institucional, com vista a assegurar o relançamento, com sucesso, da produção de estatísticas que garantam uma governação que responda de facto as necessidades dos cidadãos.

Num outro passo, Fernandes desafiou os presentes para trabalharem na consolidação dos processos iniciados, aos níveis da província, distrito e município. “Neste esforço, devemos observar o princípio da fidelidade. Temos de garantir que a informação estatística por nós produzida seja fiel a realidade. Temos de seguir o mprincípio de um bom fotógrafo; pois ele retrata de facto a realidade”, recomendou aquele responsável.

Entre outros factores cruciais necessários para a produção de estatísticas de qualidade, o presidente do INE chamou atenção para a necessidade de estabelecimento de uma unidade de gestão de qualidade. “Devemos igualmente olhar para o futuro e estudar a possibilidade de stender o processo de produção de estatísticas desagregadas até ao nível dos Postos Administrativos. Porque não? Neste desafio, devemos também pensar na possibilidade de introduzir as principais línguas nacionais nos processos de produção, disseminação, leitura e interpretação”.


Tendo em conta a demanda cada vez mais premente de estatísticas demonstrativas da realidade do País, o mais alto responsável do INE defendeu a evolução, de forma metodológica, para a produção, futuramente, de indicadores de desenvolvimento local incluíndo a produção dos índices de confiança do clima económico para os níveis mais abaixo. “Mas para se chegar a este objectivo será necessário os governos provínciais, distritais e os municípios disporem de técnicos qualificados. Este facto determinará a necessidade de estabelecimento de protocolos para a formação de pessoal em estatística”, vincou aquele responsável.

O processo de produção de estatísticas locais foi iniciado em 2008, com a capacitação de técnicos dos governos provinciais e de distrito. A iniciativa tinha por finalidade a criação de uma base de dados contendo a informação estatística indispensável para assegurar a implementação de processos de governação ao nível da base, respondendo assim o definido na Lei 8/2003 sobre os órgãos locais do Estado.