Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

""

Ferramentas Pessoais

This is SunRain Plone Theme

Navigation

Você está aqui: Entrada / Sistema Estatístico Nacional avalia desempenho no 1º Semestre / INQUÉRITO AOS ORÇAMENTOS FAMILIARES ARRANCA EM OUTUBRO: Auscultação aos usuários e inquérito piloto, marcam preparativos

INQUÉRITO AOS ORÇAMENTOS FAMILIARES ARRANCA EM OUTUBRO: Auscultação aos usuários e inquérito piloto, marcam preparativos

Tem início em Outubro próximo a recolha de dados no terreno, no quadro do Inquérito aos Orçamentos Familiares (IOF 2019/2020), operação estatística que terá a duração de um ano. Trata-se de uma actividade que tem como objectivo principal, recolher informação respeitante as receitas e despesas dos agregados familiares e outras características sócio-económicas. O objectivo final é obter vários indicadores sobre as condições de vida dos agregados familiares em Moçambique.

Esta operação, que será realizada em todo o País, irá abranger um total de 13.560 Agregados Familiares, sendo 7.152 na zona urbana e 6.408 na zona rural, numa amostra que foi desenhada para ser representativa a nível nacional, provincial e áreas de residência urbano-rural.

O IOF 2019-2020, que será realizado por uma equipa liderada pelo INE e que integra técnicos representando diferentes ministérios e organismos especializados das Nações Unidas e contando ainda com apoio do Banco Mundial, procurará obter dados que permitam avaliar os indicadores relativos ao combate a pobreza, bem como para revisão do conjunto de bens e serviços e dos ponderadores do actual índice de preços ao consumidor, entre outros aspectos.

Um dos principais objectivos do IOF 2019/2020, é recolher informação relativa as despesas e receitas dos agregados familiares e outras características sócio-económicas com a finalidade de actualizar indicadores sobre as condições de vida dos agregados familiares em Moçambique. Em termos de objectivos especificos, destaca-se a recolha de dados que permitam a construção de bases para a revisão do conjunto de bens, serviços e dos ponderadores do actual índice de preços no consumidor o que possibilitará uma análise da evolução de preços mais ajustada ao período actual.

Espera-se igualmente que através do IOF  seja possível a disponibilização de base para a actualização da estrutura e características de consumo dos Agregados Familiares, elementos essenciais para o cálculo do PIB, entre outros indicadores; a obtenção de informação actualizada dos agregados familiares sobre habitação, posse de bens duráveis, saúde, emprego, educação e turismo; a obtenção de informação que contribua para a afectivação de análise das tendências de incidência da pobreza; e, finalmente, permitir a obtenção das estimativas da taxa de emprego/desemprego.

Na abertura do evento, o Presidente do Instituto Nacional de Estatística (INE), Dr. Rosário Fernandes, destacou, entre outros objectivos a alcançar com o IOF 2019/2020, o municiamento dos actores envolvidos na definição de políticas públicas, com ferramentas consistentes com a realidade.

Preparativos

Integrado nos preparativos desta importante operação, teve lugar esta segunda-feira, 10 de Junho, um seminário um seminário de auscultação aos usuários, com a finalidade de recolher subsídios para enriquecer os instrumentos que serão utilizados na recolha de dados. Ainda no âmbito dos preparativos, tem início amanhã, 11 de Junho, uma acção de formação dos inquiridores, que terão a missão de realizar o inquérito piloto, durante o próximo de mês de Julho.

Durante o evento de auscultação, foram apresentados temas sobre o Uso do IOF nas Contas Nacionais, Metodologia de cálculo da pobreza, comparando com os dados as anteriores, Importância do IOF para avaliação do Bem-Estar, Indicadores Sócio-Demográficos, Indicadores Sócio-Económicos da comunidade, Indicadores de emprego e Indicadores de despesas.

Os inquéritos aos orçamentos familiares, são operações estatísticas que são realizados junto aos Agregados Familiares, selecionados por amostragem, e têm por objectivos, recolher dados sobre despesas e receitas dos agregados familiares residentes no país. Além da informação sobre as despesas e receitas, este tipo de inquéritos recolhe igualmente dados sobre emprego, desemprego, subemprego e turismo.