Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

""

Ferramentas Pessoais

This is SunRain Plone Theme

Navigation

Você está aqui: Entrada / Notícias / INE LANÇA INQUÉRITO AO SECTOR INFORMAL

INE LANÇA INQUÉRITO AO SECTOR INFORMAL

O Instituto Nacional de Estatística (INE), lançou no passdado dia 5 de Outubro corrente, na Vila-Sede do Distrito de Manhiça, Provínvia de Maputo, o Inquérito ao Sector Informal (INFOR 2021), na sua segunda edição. A primeira operação estatística desta natureza teve lugar em 2005. Trata-se de uma operação estatística que está a ser realizada em todo o País e tem por finalidade recolher dados sobre as principais actividades económicas informais, desenvolvidas pelos membros dos Agregados Familiares. O INFOR 2021 será realizado em 482 Áreas de Enumeração e abrangerá um total de 5.600 Agregados Familiares em todo o País.

Com base nos dados a serem apurados pelo INFOR 2021, será possível quantificar a produção que é feita por unidades económicas de pequena dimensão e organizadas na base do agregado familiar, avaliar o auto-consumo no sentido de determinar o que é produzido e consumido pelo agregado familiar e que poderia ser encaminhado para o mercado. A informação a ser recolhida, permitirá, igualmente, avaliar o rendimento dos agregados familiares resultante das actividades do sector informal, o emprego infantil, bem como para a actualização das estatísticas disponíveis sobre o sector informal, e para a avaliar o impacto da COVID-19 no sector.

Dirigida pela Secretária do Estado na Província de Maputo, Dra. Victória Diogo, a cerimónia de lançamento da operação foi testemunhada por reponsáveis do governo províncial de Maputo e do Distrito da Manhiça, e quadros do INE, contando ainda com a presença de líderes comunitários e população local. Falando na ocasião, aquela responsável começou por fazer referência ao impacto das actividade do sector informal na economia das comunidades, na economia da província e na do País em geral. “A partir dos dados recolhidos junto das famílias, torna-se possível ao governo, desenhar políticas públicas conducentes ao melhoramento dos processos de desenvolvimento em geral. Por outro lado, passados que estão 16 anos após o primeiro inquérito desta natureza, torna-se igualmente importante actualizar a informação sobre o sector”, destacou a Dra Victória Diogo.

“Para a Província de Maputo, este inquérito é importante, pois os seus dados irão contribuir para a caracterização das actividades desenvolvidas no sector. O facto assume particular importância para os processos de criação de empreendimentos sócio-económicos que tenham como foco a realização de actividades orientadas para o bem estar da população”, referiu ainda aquela responsável.

Depois de fazer uma referência ao papel do INE no capítulo da produção e disseminação da informação estatística oficial, a Dra Victória Diogo orientou as equipas de campo no sentido de respeitarem as regras de confidencialdade durante a recolha da informação junto das comunidades. “Apelamos igualmente às equipas no sentido de trabalharem com responsabilidade, boa comunicação com os agredos familiares e respeito, por forma que o vosso trabalho traga os resultados que todos desejamos”, afirmou a Secretária do Estado na Província de Maputo.